Qual nome você prefere para menina?

Você Sabia?

Meu bebê já está de cabeça para baixo, ele vai nascer antes?

Não. A maioria dos fetos está de cabeça para baixo com 20 semanas. No seu laudo aparecerá como cefálico.

Estar de cabeça para baixo não significa estar "encaixado" (termo técnico é insinuado).

O bebê só vai "encaixar" no momento do início do trabalho de parto, que pode demorar semanas.

O risco de prematuridade é avaliado através de outros marcadores, não a posição do seu filho no útero.

Dr. Alan Hatanaka - CRM 100513

Medicina Materno Fetal

Mestre em Ciências pela UNIFESP

Morfológico de Segundo Trimestre
Escrito por Dr. Alan Hatanaka
PDF Imprimir E-mail

Ultrassonografia Morfológica de Segundo Trimestre com Doppler Colorido com

Avaliação do colo uterino via endovaginal

Autor: Dr. Alan Hatanaka

A ultrassonografia morfológica de segundo trimestre deve ser realizada entre 20 e 24 semanas de gestação. Neste exame o feto, o líquido amniótico, a placenta, o colo uterino e a vascularização são detalhadamente checados em busca de alterações.

Geralmente o exame é sistematizado como um exame físico, iniciando na cabeça e dirigindo-se progressivamente em direção aos pés. Após a avaliação fetal procede-se a avaliação do líquido amniótico, placenta, Doppler e, por fim, após esvaziamento da bexiga da gestante, a avaliação do colo uterino via transvaginal.

Coube a Chervenak e Campbell, em 1993, a primeira tentativa de sistematização universal do exame. Mais tarde este trabalho foi complementado pelo Royal College of Obstetricians and Gynaecologists (RCOG), cujas recomendações mínimas para um exame seguem na Tabela 1 (Pathak, Arch Dis Child Fetal Neonatal 2009).

As alterações possivelmente detectáveis são inúmeras, podendo chegar a 5% em populações de alto risco (Pathak, Arch Dis Child Fetal Neonatal 2009). No entanto alteração do exame não significa malformação que cause repercussão na vida da criança. As malformações propriamente ditas têm incidência bem mais baixa, atingindo menos de 1% dos nascidos vivos.

A detecção da Síndrome de Down tem sensibilidade inferior na ultrassonografia de segundo trimestre (menos de 80%), quando comparada ao exame morfológico realizado entre 11 e 14 semanas (superior a 91%).

A avaliação do Doppler das artérias uterinas mostra-se útil na predição da Pré Eclâmpsia (Pressão alta), prematuridade e restrição de crescimento fetal. Já a avaliação do colo uterino faz-se essencial para detecção das pacientes de risco para prematuridade e deve obrigatoriamente ser realizada via endovaginal (Ultrassonografia do colo uterino via endovaginal. Quando realizar?).

Dr. Alan Hatanaka - CRM 100513

Medicina Materno-Fetal

Mestre em Ciências pela Universidade Federal de São Paulo

 

 

 

 

 

Sobre os Artigos

Todos os artigos são escritos por profissionais da saúde altamente capacitados e todos baseados em publicações de revistas científicas.

Envie sua sugestão

Preencha o formulário e nos envie sua sugestão de artigo.

Cadastre-se

Cadastre-se e receba periodicamente curiosidades e artigos.

Contato

  • (11) 5084-9778
  • (11) 5572-0068
  • Rua Pedro de Toledo, 980, cj 124